Looper – Assassinos do Futuro (Rian Johnson, 2012)


Looper, EUA (2012)

Direção: Rian Johnson
Elenco:
Joseph Gordon-Levitt , Bruce Willis , Emily Blunt , Piper Perabo, Paul Dano
Duração:
1h 58 minutos.
Nota:
8,9

Por Cindy Lohana

Quer assunto mais confuso e explorado no cinema do que viagem no tempo? Pois bem, Looper, além de abordar o tema com maestria, nos mostra que é sim possível na Hollywood atual produzir uma película relatando o tópico de forma inédita e bem desenvolvida.

Na trama, Joseph Gordon-Levitt é um looper, assassino da máfia responsável por dar um fim as vítimas despachadas do futuro, já que nesta época, tornou-se praticamente impossível encobrir um assassinato devido à tecnologia aprimorada do ano.

Mas, acontece que o destino brinca com Joe (Levitt), e o que de pior pode acontecer com um looper, ocorre com ele: seu loop consegue escapar. Esta, porém, não é sua maior preocupação, este loop em questão, é ele 30 anos mais velho.

É então que começa a caçada. O Joe do futuro (Willis), foge de sua morte a fim de modificar determinadas situações de sua época, mas Levitt não gosta da ideia, já que uma vez que deixa seu loop escapar, está fadado a morte ainda jovem. Confuso, não?

Sim, e é exatamente este o charme de Looper. O filme é confuso e mesmo assim não deixa de dar as explicações necessárias para que o espectador possa acompanhar e se envolver com a trama.

Outro fator que auxiliou para que a trama se tornasse tão atraente foi como o futuro havia se tornado. Existiam, é claro, alguns detalhes que podemos ver em outros filmes futurísticos, mas, o visual deteriorado e em declínio de Looper ajudou a transformar a trama em um dos melhores filmes de ficção científica dos últimos anos.

Atenção também à maquiagem de Levitt, a qual nos dava traços das expressões de Bruce Willis, sem interferir em sua atuação sempre charmosa.

Mas, nem tudo são flores. Existem pontos negativos na película que interferiram em um resultado final totalmente satisfatório. A produção, em determinados momentos se mostrou falha (não exageradamente, mas perceptivelmente), assim como a falta de trilha sonora em algumas partes fizeram com que o efeito da cena fosse mal explorado.

Nada disso, porém, deixa Looper menos interessante, intenso e admirável, uma vez que nos apresenta um enredo bastante denso e cheio de pequenos detalhes indispensáveis para que o filme seja surpreendente.

Falar do contexto da película aqui, não será interessante para quem ainda não teve a oportunidade de assistir o filme. Por isso, o que posso dizer é: assista, deleite-se e entretenha-se com este sci-fi digno de entrar para o ranking dos melhores roteiros dos últimos tempos.   

Anúncios