5 filmes sobre drogas


Por Mariana Fernandes

Drogas, geralmente, não é um tema muuuito explorado no mundo do cinema, o que é triste na minha opinião, pois é um dos meus temas favoritos, e além disso, um grande problema social!  Muitos filmes do gênero trazem para o público uma verdadeira lição de vida, na tentativa de mostrar o máximo possível, através das telinhas, o poder das drogas sobre seus consumidores e os riscos que ela traz para a sociedade.
Há filmes sobre drogas que retratam o assunto de uma forma mais “Hippie“, alegre e/ou menos dramática, porém, vou citar aqui alguns dos meus favoritos e que em sua maioria retratam a droga de forma mais dramática.
Não vou fazer aqui um “Top 5 filmes sobre drogas” e colocar em ordem “os melhores e os piores”, pois isso depende muito da opinião de cada um, há quem goste de tal filme, há quem não goste!  E por que também não tenho um que ocupe o primeiro lugar, pois gosto de muitos igualmente, então, irei colocar aqui quais são os melhores dos que vi até agora na minha opinião, lembrando que não está em ordem de melhor ou pior e que a lista reflete a minha opinião.

Eu, Christiane F – 13 anos, Drogada e Prostituída (1981):

Direção: Ulrich Edel
Elenco: Natja Brunckhorst, Thomas Haustein, David Bowie, Jens Kuphal
País de Origem: Alemanha
E como falar de filmes sobre drogas e não citar o clássico e talvez o mais polêmico: Christiane F.
A jovenzinha alemã começou a fumar drogas as 12 anos de idade! Primeiramente tornou-se usuária de haxixe, LSD e comprimidos, e aos 13 começou a se prostituir para sustentar o vicio em drogas e a usar heroína, e é dependente da mesma até hoje, aos 50 anos de idade.
Uma história triste, um livro triste, um filme triste, e real, sim, tudo o que foi contado no livro e no filme, são fatos verídicos. O filme é baseado no livro, que possui o mesmo titulo. Há quem diga que o filme é ruim, mas na minha opinião, o filme é muito bom, só acho que deveria começar como o livro começa, contando partes do começo, meio e final do livro. Percebi também que no inicio do filme, eles não deixam claro, como começou o namoro de Chris e Detlef, pois só vemos eles trocarem olhares na Sound e logo depois de Detlef entregar lenços de papel a Christiane na cena em que ela vomita, eles iniciam um namoro, já no livro o modo que eles se conheceram e como iniciou o namoro é diferente. Porém, mesmo com essas e outras diferenças, o filme retrata muitíssimo bem as consequências da heroína e outras drogas para o viciado. Outro motivo pelo qual eu gosto bastante do filme, é que as atuações foram muito boas, em especial a da atriz que interpretou a Christiane F (Natja Brunckhorst) e o Ator que interpretou o Detlef (Thomas Haustein), e como disse no meu post anterior, eles nunca haviam atuado em nada antes do filme e depois também, não fizeram mais nada na TV e no Cinema, o que é uma pena.
Enfim, Christiane F é um filme forte, emocionante e polêmico. Se você gosta do gênero drogas, assim como eu, não pode deixar de ver!
Sinopse:
Na cidade de Berlin nos anos 70, Christiane (Natja Brunckhorst), uma linda adolescente, mora com sua mãe e sua irmã menor em um típico apartamento da cidade. Ela é fascinada para conhecer a “Sound”, uma nova e moderna discoteca. Apesar de menor de idade ela pede a sua amiga para leva-la lá ela conhece Detlev (Thomas Haustein), assim ela se aproxima do terrível mundo das drogas. Primeiro é o álcool, depois a maconha, assim passo a passo ela começa a mergulhar cada vez mais profundamente no submundo do vício e da prostituição colocando-se à beira da morte. Um filme de cenas fortes e muito reais que nos transmite os horrores do mundo do vício entre os jovens.

The Basketball  Diaries/Diário de um Adolescente (1995):

Direção: Scott Kalvert
Elenco: Leonardo DiCaprio, Lorraine Bracco, James Madio, Juliette Lewis, Bruno Kirby
País de Origem: Estados Unidos
Com certeza é um dos meus favoritos! E como não adorar esse filme? Como não adorar a atuação de um dos meus atores prediletos nesse filme, Leonardo DiCaprio!?
O filme se passa no inicio dos anos 70 (apesar de não parecer essa época, e sim, na minha opinião, os anos 90) conta uma fase da vida de Jim Carroll , um garoto talentoso, que adora escrever poesias e que pretende ser jogador de basquete e joga num time de basquete do ensino médio de um colégio católico em Nova York. No começo, Jim Carroll era um mal aluno e fumava drogas mais leves, com o passar do tempo, ele e seus amigos começam a experimentar heroína e outras drogas, e a partir daí, Jim se torna um viciado e vê seus sonhos e sua vida sendo destruídos em consequência das drogas.
Um filme muito bom na minha opinião. Não tive a oportunidade de ler o livro, no qual o filme é baseado, para comparar os dois, mas o filme eu gostei bastante, te prende do começo ao fim e com um final surpreendente, também nos traz uma lição de vida.
E assim como Christiane F, o filme é baseado no livro e na vida do músico e poeta, Jim Carroll, ou seja, é verídico. Recomendo muito.

Scarface (1983):

Direção: Brian De Palma
Elenco: Al Pacino, Steven Bauer, Michelle Pfeiffer, Mary Elizabeth Mastrantonio, F. Murray Abraham
País de Origem: Estados Unidos
Um clássico! Não tem como deixar fora da lista! E o que eu preciso falar sobre o filme? Muito violento, com uma atuação impecável do Al Pacino, além de um bom elenco. Afinal, o que mais podemos esperar de Brian De Palma né?
O filme tem a intenção de retratar o mundo do narcotráfico e conta como Tony Montana (personagem principal interpretado por Al Pacino), se torna um dos chefões do Narcotráfico em Miami, nos Estados Unidos.
Enfim, recomendo muito que veja caso não conheça, pois é um dos melhores filmes do gênero, mais claro, se prepare para as cenas fortes de violência.
sinopse:
Um criminoso cubano, Tony Montana (Al Pacino), é exilado de Cuba para Miami, EUA. Ao lado de alguns companheiros, um deles Manny Ribeira (Steven Bauer), Tony começa fazendo pequenos trabalhos para um chefão do tráfico de drogas Frank Lopez (Robert Loggia), e em pouco tempo sobe na organização criminosa, enquanto sobem ainda mais suas ambições. Tony se apaixona por Elvira Hanckoc (Michelle Pfeiffer), esposa de seu chefe. Logo depois, Tony mata Frank, após esse ter tentado matá-lo. Tony chega ao topo do império da cocaína em Miami trabalhando ao lado do barão da coca Alejandro Sosa e ganha cada vez mais poder e dinheiro, entretanto começa a ter problemas devido ao vício em cocaína, problemas pessoais com sua irmã Gina e problemas com o imposto de renda o que acabam afetando indiretamente Tony Montana e aos poucos o levam a ruína.

 

         Meu Nome Não é Johnny (2008):

Direção: Mauro Lima
Elenco: Selton Mello, Cléo Pires, Júlia Lemmertz, Giulio Lopes, Kassia Kis
País de Origem: Brasil
Um nacional na lista! Sim, na minha opinião é um bom filme sobre drogas, atuações boas e uma história não muito comum pro gênero.
João Guilherme Estrella, um garoto de classe média alta no Rio de Janeiro, estudou em um dos melhores colégios, tinha muitos amigos, adorado pelos pais. É, ele tinha o que muitos consideram “tudo”, porém, nos anos 80 e 90, joão começou a ter contato com o mundo das drogas e acabou tornando-se o maior vendedor de drogas do Rio de Janeiro, e em 1995, joão foi preso e viu como é o cotidiano das prisões brasileiras.
“Meu Nome Não é Johnny” é um filme que foge daquele tipo: “menino pobre-sem pais-sem estudo-cercado pela violência, etc”, João Guilherme Estrella, um garoto rico, com um bom estudo, pais que o adoram, nunca pisou em uma favela e mesmo assim teve contato com o mundo das drogas e acabou preso!

Réquiem para um Sonho (2000): 

Direção: Darren Aronofsky
Elenco:  Ellen Burstyn, Jared Leto, Jennifer Connely, Marlon Wayans
País de Origem: Estados Unidos
Admito que antes de assistir, tirei conclusões precipitadas ao ler a sinopse e críticas, achei que não seria tudo isso o que dizem por aí, que seria um filme bobo e sem nada demais. Me enganei.
Réquiem causou um certo impacto em mim! Não me impressiono muuuito com filmes, como muitas pessoas por aí. Dificilmente um filme me impressiona, me faz parar pra respirar bem fundo e depois voltar a ver, principalmente filmes sobre drogas, que já estou acostumada com as cenas fortes! Mas as atuações em Réquiem foram ótimas, e a trilha sonora? Acho que isso foi outro fator que contribuiu muito para Réquiem ter sido um filme tão bom e emocionante. Confesso que chorei no final, eu chorar no final de um filme não é tão difícil assim, nem tão fácil, mas com certeza não fui a única que chorou em Réquiem.
O caso de Sara, (interpretada pela Ellen Burstyn), uma senhora idosa e viúva, que á todo custo tenta emagrecer para caber em seu vestido vermelho e ser admirada por todos, mais acaba se viciando em pílulas de emagrecimento e programas de TV, foi o que mais me chamou atenção, por vários motivos, um deles é que geralmente, filmes sobre drogas focam mais em drogas pesadas, que conhecemos mais e ouvimos falar mais frequentemente (Heroína, Cocaína, Etc.) aliás, isso é também, um dos principais fatores que contribuiu para que eu gostasse tanto do filme, ele se diferencia de muitos outros.
Junto ao caso de Sara, o filme combinou também o caso de Harry (Jared Leto) , filho de Sara, que junto a sua namorada Marion (Jennifer Connelly) e seu amigo Tyrone (Marlon Wayans), tenta ganhar dinheiro e realizar seus sonhos, porém, os três são viciados em heroína e acabam se envolvendo no mundo do narcotráfico.
Enfim, eu poderia ficar o dia todo escrevendo sobre Réquiem, mas recomendo que veja e tire suas próprias conclusões.

Pode causar estranhamento para alguns, o fato de eu não colocar na lista “Trainspotting”, “Medo e Delírio”, e outros. Bom, eu não acho que Trainspotting seja um bom filme, na minha opinião, por isso não inclui ele na lista. Já o caso de “Medo e Delírio” eu não consegui ver, então, se for o caso, talvez eu faça um texto sobre ele depois.

Anúncios