10 Cenas de Musicais Inesquecíveis do Cinema


Por Rafael Lopes

Ah os musicais… O que falar sobre esse gênero que não envelhece? Sim, não envelhece, e sabe por quê? Pegue uma cena de musical lá dos tempos dourados do gênero e veja, duvido não se encantar. A magia dos musicais está além de suas coreografias e musica, a magia está no fato de conseguirem por meio de melodias incríveis nos desviar de algum pensamento chato e nos leve para o singular universo do filme, nos deixando apenas com a tarefa de simplesmente curtir aquele momento e torcer para que não acabe. Por isso, nessa lista, separei 10 momentos que muito bem se encaixam nessa minha definição. Ligue o volume no alto e espero que tenha bons momentos relembrando esses bons momentos.

10 – Always Look the Bright Side of Life – A Vida de Brian (1979, dir. Terry Jones)

Ok, ok, não é um musical, mas a moçada do Monty Python era tão genial que em seus filmes colocavam alguns números musicais igualmente geniais, e essa daqui, meu deus, pra abrir esse top com pé direito, não poderia faltar na lista. E lembre-se, sempre olhe o lado brilhante da vida, por mais na merda que você esteja, tem coisa mais importante pra você se preocupar. 

09 – Elephant Love Song – Moulin Rouge – Amor em Vermelho (2001, dir. Baz Luhrman)

Alguns torcem o nariz, mas o coloco no hall de produções subestimada dos últimos anos. Sério. Acho um filmaço, um musical diferente, grudento, quente, romântico, apaixonante, e que trouxe de volta a razão de viver dos musicais no cinema, ainda mais em um tempo em que o gênero amargou uns dias no limbo. Enfim, a cena que separei, creio eu, sintetiza toda essa ideia, juntando grandes clássicos da musica romântica com passagens de outros clássicos eternos criando uma cena única e especial.  Love is a many splendoured thing, love, lifts us up where we belong, all you need is love. 

08 – America – Amor, Sublime Amor (1961, dir. Jerome Robbins, Robert Wise)

Versão latina de Romeu e Julieta, Amor, Sublime Amor é daqueles filmes eternizados talvez pelo conjunto da obra que pelo filme em si. Vencedor de vários Oscar, com pomposos números de balé e musicais e coisa e tal e quase ninguém lembra do filme. É bonitinho e tal, mas acho que seu dramalhão mexicano (não precisavam homenagear os latinos lembrando disso) e sua duração inutilmente extensa ofuscam um pouco o brilho de um filme com cenas musicais tão boas. A melhor delas (ainda pensei em por Maria) é essa, que de maneira irônica e bem ácida, conta a história do povo latino tentando a sorte na terra das oportunidades. É incrível! Casamento perfeito de cantoria, interpretação e balé.  

07 – Piruetas – Os Saltimbancos Trapalhões (1981, dir. J.B. Tanko)

O cinema nacional também produziu coisa boa nesse ramo. E pra representar os tupiniquins, essa cena inesquecível desse que pra mim é um dos melhores filmes do cinema nacional. Chico Buarque e os trapalhões e sem contar toda a cena que nos faz voltar a ser criança e poxa vida, que saudade disso. Imortalizou os Trapalhões e pra mim, momento maravilhoso da nossa filmografia. 

06 – Make Them Laugh – Cantando na Chuva (1952, dir. Stanley Donen, Gene Kelly)

Colocar a célebre cena do Gene Kelly cantando na chuva seria mais do mesmo, então, pra ser diferente, vou por meu segundo momento preferido dessa obra prima! Em poucas palavras, é só o maior antidepressivo do cinema. Curte ae! ps: Donald O’Connor é um mito da comédia e teve colhão pra interpretar Buster Keaton! Mito demais! 

05 – Time Warp – The Rocky Horror Picture Show (1975, dir. Jim Sharman)

Na mesma linha do 06 colocado, um belo antidepressivo! Melhor cena do filme mais legal do mundo. Sem mais.

04 – Diamonds are Girls Best Friend – Os Homens Preferem as Loiras (1953, dir. Howard Hawks)

Duvido não se apaixonar pela diva máxima do cinema com essa cena. Infelizmente ela gosta só dos diamantes, mas apreciar sua exuberante beleza não mata, então, só nos resta curtir esse memorável momento do cinema.

03 – Do Re Mi – A Noviça Rebelde (1965, dir. Robert Wise)

Não poderia faltar, e essa musica em especial é um show a parte do filme, que ainda possui outros belos momentos memoráveis. Filmão, marcante, inesquecível e um dos musicais mais importantes da história. 

02 – Cheek to Cheek – O Picolino (1935, dir. Mark Sandrich)

Heaven… I’m in Heaven…

Quem ama cinema entende isso.

01 – Over The Rainbow – O Mágico de Oz (1939, dir. Victor Fleeming)

Sou suspeito pra falar desse filme, é simplesmente o meu preferido de todos. Por quê? Eu vos digo, é simplesmente a síntese de tudo aquilo o que eu espero em um filme. Toda a produção maravilhosa, a fotografia colorida insuperável (o contraste com o tom sépia), os personagens inesquecíveis e claro, as músicas. Judy Garland alcançou o topo com esse clássico eterno e que pra mim, é o momento musical em um filme mais perfeito já feito.

Anúncios